Rádio Conexão Itajubá









EMPREENDA COM SUCESSO!









Manchas escuras na face: o famoso Melasma

08/10/2017

Por Dra. Gracieli Perches

O verão acabou, mas seus danos ficaram. As manchas de pele, do tipo melasma estão presentes ou mais intensas? Então chegou a hora de tratá-las para voltar a ter a pele bonita. Para isso vamos entender essas manchas?

O que é melasma?

É um distúrbio da pigmentação, que provoca a formação de manchas escuras na face, principalmente nas bochechas, testa, nariz e buço, e também no colo ou até nos braços.

Porque o melasma aparece?

Esse distúrbio é multifatorial. Existe uma tendência genética e racial. Pode ser desencadeado por alterações hormonais como o uso de anticoncepcionais ou gestação, ou por exposição solar.
As células produtoras do pigmento da pele, os melanócitos, ficam mais ativos do que deveriam, produzindo mais pigmento (melanina) do que o normal, formando as manchas.
Depois de alteradas essa células permanecem estimuladas, principalmente pela luz, tanto a luz solar, como a luz de dentro de casa, dos computadores e celulares, que chamamos de luz visível. O calor, e os processos inflamatórios da pele também são estímulos para a produção de melanina.

Como tratar?

Sabendo o que estimula a formação do melasma, podemos entender melhor como deve ser o tratamento.
Em primeiro lugar, a proteção solar e contra a luz visível, é fundamental, pois como vimos, são os principais estimuladores da produção de melanina. São usados filtros solares com ampla proteção contra UVA, UVB e luz visível. Os protetores com cor de base vêm ganhando seu papel, pois protegem mais da luz visível. Além deles, os fotoprotetores orais e antioxidantes orais também ajudam a evitar o estímulo aos melanocitos.
Os despigmentantes vão remover a melanina que já foi depositada, principalmente a que se encontra mais superficialmente, e vão paralisar a produção pelos melanócitos, assim a pele vai clareando aos poucos.

Podemos associar algumas procedimentos para acelerar a despigmentação, como os peelings, que removem a camada mais externa da pele, melhorando as manchas mais superficiais e facilitando a penetração dos clareadores. Lembrando que não pode haver um processo inflamatório importante da pele, pois como vimos, isso pode estimular a produção de pigmento, por isso existem peelings específicos para o tratamento do Melasma.

Laser e melasma

Com o surgimento da tecnologia do laser e da luz pulsada, veio a esperança de controle ou até cura para o odiado melasma. Mas, infelizmente, depois de uma melhora inicial, as manchas voltavam com força total. Isso porque eles são luzes, e como vimos, a luz estimula a produção de melanina.
Hoje já existem alguns lasers, mais específicos para o tratamento do melasma, que têm uma alta afinidade pela melanina, e que não agridem a pele, assim não provocam o efeito rebote, de maior produção de pigmento.
Mas apesar de ser uma nova e eficaz arma, que veio para ajudar no tratamento, estes lasers não são a cura para o melasma, mas um importante avanço naqueles casos em que já foram feitos vários tratamentos e a mancha parou de clarear.
São realizadas várias sessões, por um período longo, e o intervalo entre elas depende da resposta, que é individual.

Novos tratamentos
O microagulhamento, procedimento também conhecido com Terapia de Indução Percutânea de Colágeno, vem se mostrando uma técnica eficaz para o tratamento do melasma.
Um estudo realizado em 2015, na Santa Casa de Misericórdia de Recife, tratou 22 pacientes com melasma recalcitrante (que não respondiam a outros tratamentos) com a técnica de microagulhamento. E o resultado foi muito bom: 100% dos pacientes relataram satisfação com o tratamento após 2 sessões, com intervalo de 30 dias.
Além de melhorar as manchas, o microagulhamento estimula o remodelação do colágeno, melhorando a textura, diminuindo as rugas, dando mais firmeza a pele e ainda melhorando cicatrizes.
O Drug Delivery, também pode ser associado a essa técnica. Seria a aplicação de agentes clareadores, logo após o procedimento para que os mesmos consigam alcançar as camadas mais profundas da pele, através dos microfuros que se formam na pele.

Conclusão:

Não é fácil ficar com o rosto limpinho se você tem melasma. Nenhum tratamento é milagroso ou definitivo, já que não há cura para essa afecção.
O segredo para o sucesso do tratamento é a DISCIPLINA! Fotoproteção intensa todos os dias, uso correto das medicações, cuidados pré e pós procedimentos.

Seu dermatologista pode te orientar, e definir o tratamento mais adequado para você ter uma pele bonita e sem manchas.

Cuidar da pele é mais que uma necessidade estética, é uma questão de saúde!


Por Dra. Gracieli Perches, médica da Clínica Hokage, CRM-MG 63955
www.gracieliperches.com
https://www.facebook.com/Dra-Gracieli-Perches-388374861343074/


Voltar



Anuncie   •   Assine o newsletter   •   Contribua com conteúdo   •   Fale conosco

© 2010 CONEXÃO ITAJUBÁ - Site desenvolvido por B2ML Sistemas utilizando o sistema de gerenciamento de conteúdos b2mlportal.