Rádio Conexão Itajubá









EMPREENDA COM SUCESSO!









No meio de um oceano de desonestidade, surge um peixe diferente que deveria ser normal

17/04/2017

Por Professor Ronaldo Abranches

O Brasileiro percebe em seu dia a dia envolvido em ações consideradas desonestas de várias formas e em vários níveis seja cultural ou econômico. Há quem diga que isto faz parte da cultura do brasileiro. O meio campista Gérson ficou célebre não apenas por ter sido uma das maiores estrelas do tricampeonato brasileiro em 1970, mas por ter formulado, na propaganda de um cigarro na televisão, aquela que viria a ser conhecida como a lei de Gérson: “O importante é levar vantagem em tudo, certo?” O canhotinha de ouro paga caro por isto até hoje em função de ter sido algo eticamente incorreto. Mas na prática do dia a dia é isto mesmo que prevalece neste país.

Ontem no jogo da semifinal entre Corinthians e São Paulo, aconteceu algo que deveria ser normal, mas como é um fenômeno raro no futebol brasileiro, foi manchete durante toda a noite em todas as emissoras e hoje não está sendo diferente.  Com certeza este atleta será sempre lembrado por este ato em toda sua vida. Em uma disputa de bola em que estava envolvido o atacante Jó do Corinthians o goleiro e o zagueiro Rodrigo Caio do São Paulo, o goleiro sofreu um pisão, mas do próprio companheiro e mesmo pela televisão quando visto pela primeira vez parece que foi realmente o atacante Jó que fez a falta. O árbitro da partida marcou a falta e atribuiu um cartão amarelo ao atacante do Corinthians de maneira errada. O zagueiro do São Paulo Rodrigo Caio não se conteve e veio até ao arbitro e confessou que foi ele quem sem querer dera o pisão no companheiro. O juiz corretamente anulou o cartão e bateu palmas ao atleta honesto. A torcida do São Paulo criticou muito nas redes sociais e isto ainda vai render muito. Tudo por algo que deveria ser normal, o mínimo que se espera de um ser humano. Mas infelizmente não é isto que impera no Brasil em todas as esferas.

Que triste identificar em meio a um oceano de desonestidade, um peixe que fez questão de ser o que seria normal e acabou sendo muito diferente. Espero que este peixe não seja jogado fora do oceano, ao contrário, que este tipo seja reproduzido para que o mar do Brasil volte a ser para peixes.

Pelo menos essa é a minha opinião!


Voltar



Anuncie   •   Assine o newsletter   •   Contribua com conteúdo   •   Fale conosco

© 2010 CONEXÃO ITAJUBÁ - Site desenvolvido por B2ML Sistemas utilizando o sistema de gerenciamento de conteúdos b2mlportal.