Rádio Panorama








EMPREENDA COM SUCESSO!









Governos e população precisam se aliar para combater a poluição

04/12/2018

Por Daiana Barasa

A humanidade está em um nível de desenvolvimento tecnológico e social que vem causando sérios danos para a natureza.

Toda essa "evolução" da vida sobre a Terra vem, há milhares de anos, transformando e degradando a natureza com práticas inconsequentes que causam a poluição do ar, do solo e da água e a extinção de espécies animais e vegetais. O homem também é uma espécie animal e nossas próprias atitudes já estão comprometendo nossa sobrevivência. Nossa saúde está integrada ao meio ambiente e o o descaso com a natureza pode comprometer nossa vida e o futuro do planeta.

Agressões como as queimadas, as derrubadas de florestas, a emissão de CO2 em decorrência da queima de combustíveis pelas indústrias e veículos, a poluição de rios com poluentes e dejetos industriais, entre outras atitudes, são responsáveis pela degradação do meio ambiente.

A poluição da natureza é responsável por quase um quarto de todas as mortes de seres humanos anualmente. O relatório da agência ambiental das Nações Unidas, a ONU Meio Ambiente, revelou que mais de 12 milhões de óbitos acontecem todos os anos em consequência da poluição.

Impacto ambiental da poluição

Em todo mundo, mais de 80% do esgoto é despejado no meio ambiente sem tratamento, poluindo os solos, lagos e rios. Atualmente, os oceanos possuem cerca de 500 regiões denominadas de “zonas mortas”, lugares onde a manutenção da vida marinha é inviável devido à baixa concentração de oxigênio.

De acordo com os poluentes, existem diferentes tipos de poluição:

Poluição da Água

A contaminação dos recursos hídricos através da liberação de compostos físicos, químicos e biológicos contaminam a água potável, causam a morte de animais aquáticos e destroem fontes de alimentos. As principais causas da poluição da água são o despejo de esgoto, lixo e resíduos industriais em diferentes ambientes aquáticos, além do vazamento de petróleo decorrente de acidentes marítimos.

Poluição do ar

Ocorre a partir da contaminação do ar por gases, líquidos e partículas sólidas, material biológico e até mesmo energia. Os poluentes atmosféricos em forma de gases ou partículas são provenientes de fontes naturais (vulcões e neblinas) e de fontes artificiais produzidas por atividade industriais, funcionamento de veículos, incineração de lixo, desmatamento e queimadas.

Poluição do solo

A exploração desordenada do meio ambiente que deposita no solo elementos químicos estranhos prejudiciais à vida microbiológica, causa sua contaminação. Os agrotóxicos e defensivos agrícolas usados indiscriminadamente em atividades agropecuárias e os conhecidos “lixões”, locais para onde são levados os resíduos produzidos em muitas cidades são as principais fontes de poluição do solo.

Ninguém no planeta está imune à poluição provocada pelo homem

Ninguém está imune à degradação ambiental. Em 80% das cidades, a qualidade do ar não atinge parâmetros de saúde adequados. 80% do esgoto produzido no mundo é despejado na natureza sem tratamento.

“Nenhum de nós agora está a salvo. Logo, todos nós temos de agir”, alertou o diretor-executivo da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim. O consumo e a produção não sustentáveis podem levar a retrocessos. Para encontrar mais soluções para este grave problema que atinge todo o globo terrestre, a ONU definiu 50 políticas para reduzir a destruição da natureza. A conscientização de lideranças políticas e particulares para a realização de novos investimentos redirecionados a tecnologia limpa e pesquisa de formas adicionais de controlar a poluição, mudança no estilo de vida da população, eficiência no uso de recursos e uma gestão de resíduos, são os eixos principais que definem as atitudes necessárias para enfrentar o problema da poluição em todo mundo. Mas nada disso funciona sem a conscientização das pessoas.

Ligia Noronha, uma das coordenadoras do relatório produzido pela ONU, enfatiza que a produção e o consumo sustentáveis são cruciais para reduzir a poluição: “A única resposta à pergunta de como podemos todos sobreviver neste único planeta com nossa saúde e dignidade intactas é mudar radicalmente o modo como produzimos, consumimos e vivemos nossas vidas”.

Cidades sustentáveis são o futuro

Como a maior parte da população mundial vive em zonas urbanas, as grandes cidades se tornaram o ponto crucial de problemas relacionados à poluição e ao desperdício de recursos naturais. O crescimento demasiado das cidades e a falta de uma estrutura capaz de manter ambientes equilibrados nos espaços urbanos, contribuíram para o surgimento de abordagens da questão ambiental urbana como um tema de enorme relevância no mundo atual.

A grande concentração da população mundial nas cidades e o crescente impacto ao meio ambiente fez com que empresas e governos despertassem no sentido de estabelecer medidas sustentáveis que resultam em melhor qualidade de vida para a população, como a criação de cidades sustentáveis.

O principal objetivo da cidade inteligente e sustentável é evitar a falência do meio ambiente e garantir sua preservação para gerações futuras. Através de ações voltadas para construção e instalação de empreendimentos ou atividades de forma planejada é possível evitar o surgimento de polos geradores de tráfego, deterioração das áreas urbanas, poluição e degradação ambiental. Para isso, uma ideia adotada pelas cidades sustentáveis é criar espaços multiuso para evitar desperdícios, organizando a estrutura da cidade de forma que um mesmo bairro possa comportar empresas e serviços com atuações relacionadas, incentivando a colaboração mútua e evitando o desperdício de tempo e recursos.


Voltar



Anuncie   •   Assine o newsletter   •   Contribua com conteúdo   •   Fale conosco

© 2010 CONEXÃO ITAJUBÁ - Site desenvolvido por B2ML Sistemas utilizando o sistema de gerenciamento de conteúdos b2mlportal.